A covid-19 como doença ocupacional

“O trabalhador importa. E o momento impõe a revalorização do trabalhador, e não sua extinção. Não há economia sem o trabalhador. E isso até os mais ignóbeis defensores da reabertura da economia – aqueles que de carreata circundam bairros nobres de nossas cidades, contrários ao isolamento – reconhecem, ainda que não nesses termos, ao reivindicar a volta da economia e, por conseguinte, o retorno dos trabalhadores a seus postos. Suas vidas dependem não da economia, mas dos trabalhadores que fazem dela a manutenção de seus privilégios.”

Análise de Lara Lorena Ferreira, advogada trabalhista e sindical, integrante da ABJD e do CNASP.

Leia no Brasil de Fato.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email